phone: +351 912 241 983 | +1 347 851 0251
e-mail: info@TheRoyal45.com

Monday, December 24, 2007

Premier League, Week 18











Blackburn – Chelsea 0 – 1 ( Joe Cole )

O Chelsea foi bater o Blackburn Rovers a Ewood Park por um escasso 0-1, golo obtido por Joe Cole, o seu quinto desta época. Jogo em que o Chelsea foi encostado às cordas pela dupla incansável atacante Bentley e Santa Cruz. As jogadas de perigo desta partida foram, à excepção do golo de Joe Cole, pertencentes à equipa da casa, os Rovers porém que acabaram por não materializar e numa recuperação de bola de Essien que rapidamente enviou a bola a Kallou, que tem-se vindo a afirmar com o novo treinador dos Blues, fez com que o mesmo passe se transformasse em assistência para o internacional inglês Joe Cole.

O jogo ficou marcado, igualmente, pela nova lesão do guardião Petr Cech, e espera-se que o checo não recupere para a maratona de jornadas que se avizinham e transformam a liga inglesa num campeonato tão apetecível.

Conta feitas, estes 3 pontos preciosos ganhos num campo extremamente difícil esta época mantêm a distância para com o líder Arsenal a 6 pontos.

Newcastle – Derby 2 – 2 ( Viduka 2 ; Barnes, Miller )

Os Magpies alcançaram um empate, a 2 bolas, que soube a derrota contra o último classificado. O Newcastle esteve à beira da derrocada contra o frágil Derby County quando se encontrou em desvantagem 1-2, porém um derradeiro esforço de Mark Viduka concedeu o empate para os meninos de St. James Park.

O Derby County potencialmente já condenado à despromoção não beneficiou muito deste empate ao invés do Newcastle que aproveitou a derrota do Blackburn em casa frente ao Chelsea para subir na tabela para 9º classificado com base na diferença de goal average.

Manchester United – Everton 2 – 1 ( Ronaldo 2 ; Cahill )

O Man Utd continua a perseguição ao líder Arsenal, e derrotou a equipa sensação da época 2007-08 por 2-1.

Com esta partida a ser jogada muito a meio campo devido ao calibre das equipas em causa, o jogo acabou-se por cingir aos golos que emolduraram o resultado.

Cristiano Ronaldo, novamente aliando a eficácia ao brilhantismo facturou dois golos que o colocam provisoriamente no topo da tabela de melhores marcadores. Fez o 1-0 muito cedo, aos 22 minutos, mas passados 5 minutos o Everton igualou a contenda através do australiano Cahill após passe do menino prodígio Pienaar.

O jogo desenrolou-se sem grande interesse com batalha a meio campo até que, quase ao cair do pano, é marcado uma grande penalidade sobre Ryan Giggs que foi convertida com sucesso por Cristiano Ronaldo.

Com esta vitória os red devils mantêm a pressão sobre o líder Arsenal com esta distância de 1 ponto. Manchester United 42 pontos para os 43 pontos do Arsenal.

De frisar que o Man Utd adquiriu o melhor marcador do campeonato angolano Manucho Golçalves ao Petro Atlético de Luanda, onde marcou 15 golos no decorrer da presente findada temporada, ganha pela equipa treinada por Mozer, que alcançou o seu primeiro título enquanto treinador. A seguir a Jordão, Manucho torna-se o segundo jogando angolano a fazer parte dos quadros da liga mais competitiva do mundo.

Bolton – Birmingham 3 – 0 ( Diouf, Anelka 2 )

No Reebok Stadium, o Bolton Wanderers garantiu 3 preciosos pontos que se juntam aos últimos conquistados para a sua recuperação no campeonato e consequente fuga à despromoção. Desde a partida de Sam Allardyce para o Newcastle, que o Bolton não teve discernimento para conseguir voltar aos seus tempos áureos pelo leme do Big Sam. Porém nestas ultimas jornadas tem praticado um futebol mais agradável e tem obtidos alguns resultados que teimavam em não aparecer.

A equipa da casa acabou por massacrar o Birmingham e quando não conseguia materializar em golo, as oportunidades continuavam a surgir compulsivamente. Assim, não foi de estranhar que a partir, essencialmente, dos 65 minutos, esse massacre passou a proporções únicas, sendo que o jogo só se jogou no meio campo do Birmingham. Este potência avassaladora da equipa da casa, quase viu frutos quando marcaram um golo por Nollan, mas que foi negado pelo árbitro que assinalou fora-de-jogo.

Porém, 10 minutos mais foi o tempo que consagrou a supremacia do Bolton em matéria finalizadora. O senegalês El Hadji Diouf, novamente melhor jogador em campo tal como na jornada passada, abriu o marcador e serviu Anelka para os restantes 2 golos que perfizeram o resultado final. Foi tudo muito rápido; 73, 77, 90 foram os minutos em que o marcador sofreu alterações.

Aston Villa – Manchester City 1 – 1 ( Carew ; Bianchi )

O Man City voltou a exibir um futebol de alto nível e demonstrou a razão pela qual vai passar o Natal no topo entre os quatro primeiros da Premier League.

Rolando Bianchi demonstrou novamente pela 3ª jornada consecutiva a razão pela qual o seu treinador sueco Eriksson tem confiado no mesmo. Bianchi abriu o activo 0-1 para o City aos 11 minutos para ser negado mais tarde pelo empate de Carew volvidos 4 minutos. Um jogo em que o Aston Villa fez uma partida excelente, porém o City a jogar fora parecia que estava em solo caseiro dado o perfume de futebol que espalharam pelo campo.

Desta forma, o Man City passa a somar 34 pontos e vai fazer companhia aos 3 grandes, destituindo o Liverpool assim da 4ª posição ainda que com menos um jogo. O Aston Villa num campeonato não menos brilhante, ocupa um 8º lugar com 29 pontos, assumindo claramente a competitividade deste campeonato pela separação pontual de 5 pontos do meio da tabela para os lugares de acesso à Champions League.

ReadingSunderland 2 – 1 ( Ingimarsson, Hunt ; Chopra )

Um jogo entre as equipas que têm praticado um futebol pouco interessante esta época, viu o Reading de Steve Coppell vencer o Sunderland, irreconhecível da época passada, de Roy Keane.

Fazendo jus aos campeonatos exibicionais medíocres praticados por ambas as equipas, não foi de espantar que o jogo foi sonolento, idêntico ao jogo do Bolton-Birmingham, até que a emoção soltou-se no tapete verde a partir dos últimos 20 minutos da partida, em que o Reading se colocou em vantagem aos 70 minutos por Ingimarsson, para que depois o internacional Michael Chopra de grande penalidade empatasse a partida aos 82 minutos.

Um golo, basicamente, concedido pelo árbitro Steve Tanner, viu Hunt a facturar para a sua conta pessoal e para o seu Reading esse mesmo golo extremamente controverso por imagens demonstrarem que a bola não entrou na totalidade, porém é o erro humano que faz com que o calor deste desporto rei seja vivido com intensidade, o inesperado consagra sempre grandes momentos, de sorriso para uns lados e de tristeza para as hostes opostas.

Middlesbrough – West Ham 1 – 2 ( Wheater ; Ashton, Parker )

O Middlesbrough viu 1 ponto escapar-se por entre os dedos quando Scott Parker indignou as hostes caseiras ao apontar o tento que separou as duas equipas, 1 – 2.

O West Ham na condição de visitante dominou a partida, tendo inclusive a posse de bola de seu lado, assim como o número de remates e passes certos.

Quem abriu o activo foi a equipa da casa, aos 39 minutos, sendo que volvidos 4 minutos, Ashton restabeleceu a igualdade. O Borough não pareceu a equipa combativa que venceu o Arsenal e igualmente na última jornada, o Derby, porque foi completamente banhado pelo futebol praticado pelos londrinos.

Para culminar o adensamento do enredo e êxtase, pouquíssimo antes do cair do pano, Scott Parker desolou a equipa adversária, que já se contentava com um ponto face à sua exibição, e sobre o minuto 90 facturou os três pontos para o West Ham.

Liverpool – Porstmouth 4 – 1 ( Benayoun, Distin , Torres 2 ; Benjani )

O Liverpool fez uma exibição q.b. para bater um Portsmouth que passou de brilhante a decadente nas últimas partidas. Os números expressivos reflectem a supremacia do Liverpool que com 61% de posse de bola ornamentou a sua exibição bem conseguida com um marcador gracioso.

Torres acrescentou mais dois golos para a sua conta pessoal, mostrando estar a adaptar-se ao futebol inglês, apesar do estilo continental praticado pelo técnico Rafa Benitez; e com estas últimas exibições, o espanhol tem sacudido um pouco da pressão que tinha sobre si e onde já se aguardava uma chicotada psicológica em Anfield Road, que não se veio, então, a verificar.

Fulham – Wigan Athletic 1 – 1 ( Dempsey ; Bent )

A equipa treinada pelo interino, Ray Lewington, o Fulham, averbou mais uma partida sem vencer, sendo que ainda assim, conseguiu levar um ponto desta partida frente ao Wigan de Steve Bruce.

Um jogo entre os últimos da tabela que não registou grandes oportunidades de perigo e que se pautou pelos golos de Dempsey para o Fulham e de Bent para o Wigan.

O Fulham continua na 17ª posição com 14 pontos, à medida que o Wigan encontra-se um ponto atrás dos londrinos, com 13 pontos na 19ª posição.

Arsenal – Tottenham 2 – 1 ( Adebayor, Bendtner ; Berbatov )

O Arsenal cimentou a sua consistência no topo da tabela ao vencer por 2-1 o derby londrino que o opôs aos Spurs, deixando assim a diferença de um ponto para os rivais de Manchester.

Uma partida muito atraente para quem teve a chance de assistir ao mesmo e que poderia ter ido para qualquer um dos lados, inclusive porque o momento chave do jogo se cifra ao minuto 73. Adebayor viu o seu golo respondido pelo búlgaro Berbatov perfazendo o 1-1, porém aos 73 minutos, como mencionamos, o Tottenham dispôs de uma oportunidade soberana para passar para a frente, e quiçá, conquistar os 3 pontos no Emirates Stadium, através de uma grande penalidade que Almunia defendeu a remate de Robbie Keane, sendo que a jogada consequente originou o golo do recém entrado Bendtner que ao tocar pela primeira vez na bola, correspondeu a passe de Fabregas com um cabeceamento para o fundo das redes de Robinson, ultimando o resultado final de 2-1 no derby do norte de Londres.

  1. Arsenal 43,
  2. Man Utd 42,
  3. Chelsea 37,
  4. Man City 34,
  5. Liverpool 33,
  6. Everton 30,
  7. Portsmouth 30,
  8. Aston Villa 29,
  9. Newcastle 26,
  10. Blackburn 26,
  11. West Ham 25,
  12. Reading 21,
  13. Tottenham 18,
  14. Bolton 17,
  15. Middlesbrough 17
  16. Birmingham 15,
  17. Fulham 14,
  18. Sunderland 14,
  19. Wigan 13,
  20. Derby County 7

  1. Cristiano Ronaldo 11
  2. Adebayor 10
  3. Anelka 10
  4. Benjani 9
  5. Yakubu 9
  6. Torres 8
  7. Robbie Keane 8