phone: +351 912 241 983 | +1 347 851 0251
e-mail: info@TheRoyal45.com

Monday, January 14, 2008

Premier League, Round 22












Everton 1 Manchester City 0 ( Lescott )

Numa jornada repleta de volte faces, começamos por dar atenção ao Everton-Manchester City.

Como já tínhamos referido na jornada anterior, 3 eram os pontos que separavam as equipas ocupantes das posições número 8 e número 4 da tabela classificativa. Assim, Everton tomou de assalto a ultima posição de acesso às competições europeias ao bater o até então 4º classificado, Manchester City.

Um golo de Joleon Lescott sentenciou os 3 pontos a favor do Everton de David Moyes levando a sua equipa ao 5º lugar, relegando o Manchester City para 7º classificado.

O Everton a tentar suprimir a ausência do seu trio brioso de jogadores que partiu para a Taça das Nações Africanas, o sul africano, Steven Pienaar e dupla nigeriana Ayegbeni Yakubu e Joseph Yobo; tiveram de batalhar muito para conseguir obter estes três pontos dada a excelente réplica dada na segunda parte por intermédio da equipa de Manchester.

Faltou um pouco de humildade ao Manchester City gozando de um estado proeminente na Premier League com a invencibilidade a servir de sombra durante os últimos 5 jogos, para poder levar de vencida o Everton, sendo que não efectuou um remate de perigo às hostes de Liverpool, actual equipa de Manuel Fernandes.

Aos 32 minutos, o central Lescott assegurou os três pontos à equipa de Goodison Park com uma investida no ataque através de uma jogada de insistência após o canto, à medida da perpetrada pela Académica ao Sporting durante este fim-de-semana.

Sven Goran-Eriksson tentou alterar de um 4-5-1 inicial para um 4-4-2 na expectativa de alterar o fluxo de jogo, facto que não favoreceu muito, dado que colocou Elano na direita para que pudesse beneficiar Nery Castillo mais descaído na esquerda. Dessa forma, e tirando o brasileiro da sua posição de raiz e onde acaba por render mais, filtrou de forma equívoca a potencialidade do ataque do City que acabou por ficar sem os famosos e recentes passes de rotura que tem sido tão associados à equipa de Manchester.

Acabou, então, por no início da segunda parte oferecer uma posição mais nómada a Elano e a situação melhorou drasticamente, porém sem a necessária finalização

O Everton acabou por acalmar a tempestiva investida do Manchester City, relegando os mesmos a jogadas sem perigo advindas de bolas paradas, sem perigo para o norte-americano Tim Howard.

Middlesbrough 1 Liverpool 1 (Boateng ; Torres)

O Liverpool, actualmente, a melhor equipa a jogar fora na Premier League, não foi para além de um empate a um golo com a equipa decadente do Middlesbrough.

Este resultado levantou a equipa de Anfield para o 4º posto, porém sem conseguir uma única vitória nas últimas três partidas.

O Middlesbrough conseguiu mostrar réplica à equipa do Liverpool, tanto que a dado momento do jogo, já ninguém sabia quem lutava pelo lugar de acesso à Champions League e quem lutaria para não descer, face ao equilíbrio apresentado.

O internacional germânico Rob Huth, manteve sempre debaixo de olho, o não menos internacional espanhol Torres, que andou a passear a maior parte da partida, pouco tempo antes de marcar o seu golo, que começa a ser habitual.

Os momentos de excelência foram servidos primeiramente no prato da equipa da casa, quando o veterano Boateng pegou na bola e lançou Stewart Downing pelo flanco esquerdo. Ainda que de forma deficiente, o cruzamento de Downing encontrou Aliadiere que cabeceou a bola encontrando o seu colega, o holandês Boateng que não se fez rogado a tal situação, abrindo assim o activo.

O Middlesbrough quase conseguiu incrementar a sua vantagem através de uma jogada do turco Tuncay que ofereceu o golo a Downing que o esbanjou de forma categórica estavam corridos 66 minutos de jogo. Quem não marca, sofre, segundo máxima regente do futebol, e 6 minutos volvidos Torres pega na bola após passe do substituto Ryan Babel, para desferir um remate portentoso para o fundo das redes de Schwarzer fazendo a igualdade. Foi o 17º golo da época de Torres, e o 11º para o campeonato.

Com uma avalanche atacante, muito por culpa do holandês Babel, O Liverpool, não fosse a impecável exibição de Mark Schwarzer, teria conseguido levar de vencida a Borough, facto que não sucedeu no final da partida.

Desta forma, o Middlesbrough ultrapassa, um mais debilitado Bolton e aninha-se na 14ª posição, e igualmente consegue estabelecer uma margem mais confortável, de 4 pontos, para com a linha de descida.

O Liverpool ascende à 4ª posição a oito pontos do Chelsea, mas com menos um jogo.

West ham 2 Fulham 1 ( Ashton, Ferdinand ; Davies )

Mais um derby londrino foi servido esta semana no menu da Premier League, desta vez opondo o West Ham ao Fulham em Upton Park

O West Ham com um jogo em atraso, precisamente com a equipa, acima referida, do Liverpool, aumentou a ponte que separa os 10 primeiros dos restantes 10 para 6 pontos.

O West Ham apesar de dominar a partida largamente, viu o Fulham a adiantar-se no marcador através de Davies aos 7 minutos com um livre directo.

Freddie Ljungberg voltando à sua forma mais reconhecida acabou por ajudar de forma nuclear o West Ham a conquistar os seus intuitos, formando uma dupla fervorosa com Ashton.

Foi esta mesma dupla que concedeu o empate à equipa da casa quando em jogada envolvente no flanco direito, através do cruzamento do sueco, Ashton igualou a contenda.

O guarda-redes finlandês Niemi conseguiu, ainda, aguentar através de diversas intervenções brilhantes o ataque avassalador do West Ham, mas sem que conseguisse suster o ímpeto final que se consagrou com um golo do central Ferdinand com 20 minutos para jogar.

Arsenal 1 Birmingham 1 ( Adebayor ; O’Connor )

O nigeriano Adebayor, concorrente directo e mais próximo de Ronaldo na tabela dos melhores marcadores, conseguiu mais um golo, através de um penalty controverso, para se colocar 3 golos atrás do português, que esta semana marcou um hat-trick.

Garry O’Connor conseguiu o empate, mesmo após grande domínio, não materializado em golos, do Arsenal.

O Arsenal tem vindo a descer de forma, razão pela qual, os sites de apostas colocam o Manchester United como campeão, quando ao início tudo favorecia a equipa londrina.

O ataque do Arsenal foi enjaulado pela defensiva de Birmingham e com a grande exibição de Taylor que susteve cada chance de golo criada pelos Gunners.

Com este empate, o Arsenal perde a primeira posição para o Manchester United que ultrapassou o Newcastle United por claros 6-0.

Aston Villa 3 Reading 1 ( Carew 2, Laursen ; Harper )

O Aston Villa manteve-se nas posições de acesso às competições europeias com a vitória lograda diante do tranquilo Reading.

O Aston Villa a praticar um futebol exemplar esta temporada fez mexer o marcador a meio do primeiro tempo através do norueguês Carew, posteriormente por Laursen e a finalizar, Carew bisou.

Ashley Young, melhor jogador em campo, gerou múltiplas ocasiões de golo através do flanco esquerdo e tem passado por si, muito do sucesso da equipa de Martin O’Neill.

Um jogo que apesar da supremacia futebolista demonstrada pelo Aston Villa em termos de marcador, não reflectiu assim tanto o que se passou durante a partida, sendo que as equipas encaixaram-se facilmente dado os sistemas de jogo mais defensivos não reflectindo o 4-3-3 do Villa nem o 4-4-2 do Reading.

O perigo adveio, sobretudo, das bolas paradas para um e outro lado, com Stiliyan Petrov a ser o jogador que mais perigo criou através dessas mesmas jogadas, sem deixar de descurar as tentativas do ataque forasteiro por Dave Kitson e Kevin Doyle.

O contestatário de Steve Coppell, Leroy Lita entrou no segundo tempo com Bobby Convey, também, mas nada fez para mostrar a razão pela qual critica o seu treinador por o colocar no banco de suplentes. No final, inclusive, quem obteve o tento de honra dos Royal foi mesmo um centrocampista, Harper.

Chelsea 2 Tottenham 0 ( Belletti, Wright-Phillips)

Juliano Belletti e Shaun Wright-Phillips assinaram os tentos que aproximaram o Chelsea dos rivais Arsenal, com esta vitória por 2-0 perante o Tottenham, no outro derby londrino da jornada.

Um jogo de características apetecíveis pela sua longevidade, mas neste caso, principalmente pela aquisição de Inverno do Chelsea, Anelka, ex-Bolton.

Um Tottenham apagado depois de suster o Arsenal para a Taça a meio da semana, viu um Chelsea batalhador a tentar voltar à luta pelo título, mesmo com as ausências dos internacionais ingleses Lampard e Terry, por lesão, e pelos africanos Drogba e Essien ao serviço das respectivas selecções na Taça das Nações Africanas.

Petr Cech voltou à baliza após uma época fustigada por lesões, mas garantidamente os adeptos movimentaram-se mais que o próprio guardião checo que nada mais fez que reposições de bola e algumas defesas mais simples.

Se houve movimentações na baliza do Chelsea, também no Tottenham, Radek Cerny voltou a substituir o internacional inglês Paul Robinson adensando a controvérsia e crítica dos Media ingleses.

Belletti fabricou um dos golos mais belos da época, de certo a figurar entre os mesmos no final da temporada, com um remate agressivo a 30 metros que só parou quando encontrou as redes dos Spurs.

Aaron Lennon tantou importunar Ashley Cole com a sua velocidade e criatividade, mas para tanta velocidade, velocidade e meia do lateral do Chelsea serviram para parar as investidas dos vizinhos londrinos através do extremo direito.

O contestado Cláudio Pizarro, foi retirado sobre efusivos aplausos para a entrada de um Anelka que custou, na reabertura de mercado, 15 milhões de libras para suprir a ausência do marfinense Drogba.

Assim que entrou desferiu um remate perigoso para excelente defesa de Cerny, e após o golo do ala Wright-Phillips, aproveitou a chance para provar que o investimento parece ter sido bem feito, quando atirou uma bola ao poste ao cair do pano, mostrando serviço sem sequer ter treinado uma única vez com a equipa de Londres. Foi chegar, assinar e jogar para o francês.

Derby County 0 Wigan Athletic 1 ( Sibierski )

Um jogo nada apetecível colocou frente a frente duas, das mais prováveis, equipas candidatas à descida de divisão.

O Derby continuando a afundar-se cada vez mais na tabela classificativa, com escassos 7 pontos em 22 jogos, com uma média pontual de 0,3 por jogo, foi suplantado por um, não muito mais brilhante, Wigan que conquistou 3 pontos que o colocam, provisoriamente, fora da linha de descida.

Num jogo aborrecido, o francês A. Sibierski entrou a dez minutos do fim para, através do seu primeiro toque na bola, marcar o tento que segurou os três pontos para os visitantes.

Manchester United 6 Newcastle United 0 ( Ronaldo 3, Tevez 2, Ferdinand )

Um desertado Newcastle, pela saída de Sam Allardyce viu um Manchester United tomar de vencida os Magpies por expressos 6-0.

Após um primeira parte dominada pela equipa da casa, o Newcastle conseguiu chegar ao intervalo com as suas redes intactas, garantindo o resultado como prémio da sua consistência defensiva. O mesmo não sucedeu com a avalanche atacante dos Red Devils no segundo tempo, que foi materializada, e de que maneira, pela equipa de Ronaldo.

O internacional português Cristiano Ronaldo obteve o seu primeiro hat-trick pelo Manchester e isolou-se na lista dos melhores marcadores com 16 golos (22 golos no total), conseguindo ganhar a aposta, ainda a meio do campeonato, com Alex Fergusson, cifrada em 20 golos esta época.

Tevez obteve dois golos para se cimentar no ataque do Manchester e Ferdinand alcançou o outro golo que perfez o resultado de claros 6-0.

A primeira parte foi feita de duas ocasiões geradas por Rooney que não conseguiu o golo através das mesmas; Ronaldo e Giggs num curto espaço de tempo a serem derrubados por Taylor e Smith sem que R. Styles assegurasse as grandes penalidades e apesar desse mesmo domínio da equipa da casa, o Manchester poderia ter ido para o intervalo em desvantagem quando um golo legitimo foi retirado a Michael Owen por fora de jogo após passe de James Milner.

Alan Smith muito pressionado pela sua ex-massa associativa não conseguiu manter a compostura emocional e cometeu faltas imaturas de um jogador em alta competição e as mesmas em conjunto com uma linguagem abusiva levaram mais tarde à sua expulsão.

Foi através de uma dessas mesmas faltas cometidas pelo internacional inglês que Ronaldo apontou o primeiro de três golos na partida, ao concretizar um livre directo da melhor forma.

Tevez fez o segundo após disparate de José Enrique que colocou a bola em Shay Given que tentou despachar, sem que a bola saísse de perto embatendo em Caçapa e chegando até Giggs que a coloca no argentino para facturar o 2-0.

Ronaldo faz o seu terceiro golo com 19 minutos para jogar, e instalou-se o massacre adensou-se de seguida.

Mesmo com uma terceira grande penalidade clara de Carr sobre Ferdinand rejeitada por Styles, o Manchester sem tirar o pé do acelerador, esmagou a defensiva dos Toon fazendo o 5 e 6-0, por Ferdinand, Tevez.

A hegemonia da equipa de Manchester voltou a levar a equipa ao topo da tabela em igualdade pontual com o Arsenal, com 51 pontos.

Sunderland 2 Portsmouth 0 ( Richardson 2 )

O extremo ex-Manchester United, Richardson concedeu uma vitória importantíssima para a equipa treinada pelo irlandês Roy Keane, que luta para não ser relegado para a Championship.

Esta vitória coloca o Sunderland, apesar de estar na zona de descida, em igualdade pontual com as restantes 3 equipas, Wigan, Birmingham e Bolton, e a um ponto e dois pontos do Middlesbrough e Reading respectivamente.

Harry Redknapp que rejeitou esta semana o posto de treinador em Newcastle, não viu retribuída a sua fidelidade para com os Pompey, sendo que a sua equipa jogou de forma desprotegida e sem eficácia, facto que levou à derrota contra uma das equipas mais frágeis da Premier League.

Harry, poder-se-á queixar da partida de numerosos jogadores para a Taça das Nações Africanas, tais como Papa Bouba Diop, John Utaka, Sulley Muntari todos habituais titulares, mas o facto de, não implica que, num mundo do futebol em que planteis são compostos por uma imensidade de jogadores.

Bolton 1 Blackburn 2 ( Nolan ; Samba, Roberts )

O Bolton debilitado após a saída de Anelka para o Chelsea e da ausência de Diouf para a Taça das Nações Africanas não conseguiu suster o ímpeto atacante do Blackburn Rovers que conseguiu, através do substituto Roberts, alcançar os três pontos ao cair do pano numa jogada de contra-ataque em que o avançado percorreu 50 metros e despachou a bola para as redes da equipa da casa. Tudo isto sucedeu após Samba com o golo do empate ter cancelado o primeiro tento da equipa da casa, por Nolan.

Agora o ataque do Bolton encontra-se sob alçada de Davies e Cohen que substituem assim o francês e o senegalês e de um 4-4-2 o Bolton de Gary Megson passa a um 5-4-1 com recurso a famosa Long-Ball do campeonato inglês, que começa agora a adaptar um estilo mais continental com a apropriação da Premier League por um legião estrangeira sem precedentes, quer em termos de jogadores, mas de forma idêntica em termos de management.

A equipa da semana foi a seguinte:

Maik Taylor (Birmingham)

Juliano Belletti (Chelsea)

Martin Laursen (Aston Villa)

Jonny Evans (Sunderland)

Stephen Warnock (Blackburn)

Cristiano Ronaldo (Manchester United)

George Boateng (Middlesbrough)

Kieran Richardson (Sunderland)

Ashley Young (Aston Villa)

Kenwyne Jones (Sunderland)

Carlos Tevez (Manchester United)

Classificação:

1 Manchester United 51

2 Arsenal 51

3 Chelsea 47

4 Liverpool 39

5 Everton 39

6 Aston Villa 39

7 Manchester City 39

8 Blackburn Rovers 36

9 Portsmouth 34

10 West Ham 32

11 Newcastle United 26

12 Tottenham Hotspur 24

13 Reading 22

14 Middlesbrough 21

15 Bolton Wanderers 20

16 Birmingham City 20

17 Wigan Athletic 20

18 Sunderland 20

19 Fulham 15

20 Derby County 7

Melhor Ataque

1 Manchester United 44

2 Arsenal 43

3 Tottenham Hotspur 42

4 Aston Villa 40

5 Everton 38

6 Liverpool 35

7 Chelsea 35

8 Portsmouth 31

9 Blackburn Rovers 30

10 Reading 30

11 Manchester City 29

12 West Ham 27

13 Newcastle United 27

14 Bolton Wanderers 24

15 Birmingham City 23

16 Fulham 23

17 Wigan Athletic 22

18 Sunderland 22

19 Middlesbrough 19

20 Derby County 10

Melhor Defesa

1 Manchester United 11

2 Liverpool 14

3 Chelsea 16

4 Arsenal 17

5 West Ham 20

6 Everton 22

7 Portsmouth 22

8 Manchester City 23

9 Aston Villa 28

10 Blackburn Rovers 29

11 Birmingham City 33

12 Bolton Wanderers 34

13 Middlesbrough 36

14 Wigan Athletic 37

15 Newcastle United 39

16 Fulham 39

17 Tottenham Hotspur

40 18 Sunderland 40

19 Reading 47

20 Derby County 47

Melhores marcadores

1 Cristiano Ronaldo 16 Manchester United

2 Emmanuel Adebayor 13 Arsenal

3 Fernando Torres 11 Liverpool

4 Carlos Tevez 10 Manchester United

4 Robbie Keane 10 Tottenham Hotspur

4 Nicolas Anelka 10 Chelsea

4 Roque Santa Cruz 10 Blackburn Rovers

8 Mwaruwari Benjani 9 Portsmouth

8 Aiyegbeni Yakubu 9 Everton

10 Dave Kitson 8 Reading

10 Dimitar Berbatov 8 Tottenham Hotspur

12 Gabriel Agbonlahor 7 Aston Villa

12 Marcus Bent 7 Wigan Athletic

12 Steven Gerrard 7 Liverpool

15 Clint Dempsey 6 Fulham

15 Tim Cahill 6 Everton

15 Martin Laursen 6 Aston Villa

15 Francesc Fabregas 6 Arsenal

15 John Carew 6 Aston Villa