phone: +351 912 241 983 | +1 347 851 0251
e-mail: info@TheRoyal45.com

Tuesday, February 12, 2008

Premier League, Round 26,12/02/2008













Aston Villa 4 Newcastle United 1 (Bouma, Carew 3 ; Owen)

Primeira parte motivada da equipa de Tyneside que conseguiu sair para o intervalo na frente através de um cabeceamento de Michael Owen, aos 5 minutos.

Porém, a equipa da casa de orgulho ferido e sob a mestria de Martin O’Neill conseguiram dar a volta ao marcador em apenas 3 minutos de reatamento. Golos apontados por Wilfried Bouma e John Carew.

O gigante norueguês a 18 minutos do final acentuou o resultado para 3-1 e posteriormente para 4-1 alcançando o seu primeiro hat-trick nos últimos 7 anos.

A motivação do Newcastle debaixo da era de Kevin Keegan aind anão foi suficiente para alcançar uma vitória na liga, sendo que o próprio treinador diz ainda estar a lidar com certas personalidades mais complexas dentro do balneário antes que consiga pegar de estaca e relançar os Magpies.

O Villa ascende provisoriamente à 5ª posição à espera do que o Liverpool possa fazer frente ao Chelsea. Enquanto que o Newcastle cai para 13º lugar já com o Sunderland, que iniciou uma recuperação considerável, a 2 pontos.

Derby County 0 Tottenham Hotspur 3 (Keane, Kaboul, Berbatov)

Os Spurs conseguiram domar o fragilíssimo Derby, que só aguarda só o final do campeonato, mesmo após a sua compra por mais uns investidores americanos.

Foi na segunda parte que Keane, Kaboul e Berbatov consagraram o resultado final e deixaram Paul Jewell à espera da sua primeira vitória na liga.

Golos fáceis, obtidos com a ajuda do guardião Roy Carroll. 1º quando defende a bola de Malbranque em assistência para Keane, posteriormente através de um mau golpe de vista a remate de Kaboul; Berbatov saído do banco apontou depois o 3-0 através de uma grande penalidade.

O Tottenham continua a manter a 11ª posição depois desta vitória, porém optimizou o seu lugar, devido à vitória do Borough. À sua frente está o West Ham com menos um jogo e 5 pontos de vantagem.

Everton 1 Reading (Jagielka)

Everton subiu ao 4º lugar após bater de forma tangencial, 1-0, um Reading em posição complicada na tabela, 18º.

Reading conseguiu durante a maioria da partida oferecer réplica aos meninos de Merseyside, tanto que a equipa da casa venceu pela margem mínima e só conseguiu obter o tento passados 60 minutos.

Manuel Fernandes, face a fraca exibição foi substituído ao intervalo por James Vaughan que teve impacto imediato, imprimindo uma toada mais atacante ao sector mais avançando do Everton.

O Reading após o golo sofrido almejou conseguir a igualdade através de uma pressão no último terço de terreno, porém sem grandes resultados no que diz respeito ao resultado final.

David Moyes consegue assim colocar o Everton numa, não muito acostumada, posição que dá acesso à Liga dos Campeões em formato preliminar. Ao invés de Steve Coppell que cai para as três ultimas posições.

Middlesbrough 1 Fulham 0 (Aliadière)

O francês Aliadière deu a vitória ao Boro quando previamente só tinha conseguido obter 2 golos após transferência do Arsenal para o Middlesbrough.

Um jogo monótono que não teve grandes motivos de interesse para além desse mesmo golo, mostrou o Boro com alguma consistência atacante num jogo directo em que Huth e Wheater muito contribuíram.

O Fulham tentou consolidar o seu jogo defensivo, mas não conseguiu grandes movimentações ofensivas, e sendo que numa fase inicial pareciam contentados com o empate forasteiro. Os Cottagers obtiveram as suas jogadas mais sonantes através de remates de longa distância de Davies e Murphy, porém nenhum dos remates incomodou Schwarzer.

Afonso Alves fez a sua estreia após se transferir do Heerenveen, clube onde esta época já tinha 11 golos em 7 jogos, em que 7 dos quais foram obtidos num só jogo, frente ao Heracles em Outubro. Foi a transferência mais cara do Boro desde a aquisição de Maccarone ao Empoli.

Com esta vitória, o Middlesbrough ultrapassa os rivais Newcastle e tomam a 12ª posição enquanto que o Fulham ocupa o penúltimo lugar da tabela classificativa.

Sunderland 2 Wigan Athletic 0 (Etuhu, Murphy)

Sunderland conseguiu subir à 14ª posição após a vitória de 2-0 sobre o 16º classificado, o Wigan Athletic.

Golos obtidos por Dickson Etuhu e Daryl Murphy asseguraram os 3 preciosos pontos para a equipa da casa, que no Stadium of Light foram completamento subjugados à táctica do contra ataque, dado o encosto ao seu último terço de terreno.

Porém a eficácia do Sunderland mostrou-se imperante face à inoperância e rácio de eficácia do ataque do Wigan. O jogo tinha características específicas, sendo que ambas as equipas estavam em igualmente pontual, somente separadas por diferença de golos. No final, revelaram-se mais fortes os meninos de Roy Keane.

Com estes 3 pontos, o Sunderland aumenta para 4, o número de vitórias consecutivas em solo caseiro. O Wigan, caso continue, com estas exibições não terá de se preocupar muito com a despromoção dado que os resultados serão mais que um semblante da equipa e uma concretização da totalidade do seu espírito de perseverança e dedicação.

West Ham 1 Birmingham 1 (Ljungberg;McFadden)

Fabio Capello foi observar a partida que opôs o West Ham frente ao Birmingham.

O jogo parecia ser emotivo dada a pertinência ofensiva das duas equipas, mas rapidamente descolorou na segunda parte e a monotonia tomou conta da partida.

Este resultado significa que os londrinos continuam na 10º posição, 5 pontos à frente do Tottenham e com menos um jogo. Birmingham consegue ultrapassar, com este ponto, o Reading alojando-se acima da linha de água.

Ljungberg obteve o seu primeiro golo na liga ao serviço dos Hammers, porém rapidamente McFadden colocou tudo na mesma, o empate inicial, ainda que agora fosse por 1 golo.

Bolton 0 Portsmouth 1 (Diarra)

Retornado da Taça das Nações Africanas, Kanu providenciou uma assistência valorosa ao francês Diarra, ex-Arsenal, contra a corrente de jogo, em que o Portsmouth só conseguiu ter 2 remates.

O Bolton praticou um futebol muito assertivo que pecou somente na finalização. Diouf voltou a trazer dinâmica ao ataque do Bolton, que continuando a praticar este futebol atacante não terá grandes dificuldades em atingir a zona tranquila da tabela.

Bolton began the second half in much the same manner as they ended the first, threatening the Portsmouth defence but just failing to find the shot on target to conclude each move.

O Portsmouth pode congratular-se pela utilização do seu guardião que foi a melhor unidade em campo com as suas defesas exigentes de qualidade para manter intacta a baliza de sua equipa. Esta vitória permite aos forasteiros alcançar a 8ª posição com 41 pontos a 3 do restante comboio da frente composto por 3 equipas, Liverpool, Man City e Aston Villa.

Manchester United 1 Manchester City 2 (Carrick ; Vassel, Benjani)

Dois golos na primeira parte, por Vassel e o recém comprado Benjani foram suficientes para o Man City conseguir a segunda vitória sobre o Man Utd esta temporada; Michael Carrick ainda reduziu nos descontos, mas de forma insuficiente para alterar o destino dos 3 pontos.

O Manchester United perde assim a oportunidade de colocar-se no topo da tabela e por consequência impor alguma pressão ao rival mais directo, Arsenal que jogará ainda com o Blackburn.

O jogo era suposto servir a vitória dos red devils para marcar a passagem do aniversário número 50 de Munique e queda do avião com jogadores do Manchester, porém a potencialidade da emoção foi superior ao futebol praticado pela equipa da casa. Assim sendo, o Man City continua a praticar um futebol quase imaculado e vai colhendo frutos das aquisições e vendas certas ao mesmo tempo que das implantações tácticas e da formação de Sven Goran Eriksson.

Cristiano Ronaldo não conseguiu desempenhar as suas tarefas ao seu nível padrão, porém não se pode pedir massificação de picos de forma a um jogador que tem mantido uma uniformidade adjudicada às suas soberbas performances.

Dunne, Micah Richards e Hamann foram o muro das lamentações do Man Utd e neles foi assente a construção do jogo, vindo do seu sector mais defensivo. Se a esta barreira quase intransponível acrescentarmos um guarda-redes exemplar, Joe Hart, temos uma equipa balanceada para a vitória em poucos passos.

Martin Petrov condimentou o ataque do City com lances ofensivos picantes provenientes da sua velocidade e perseverança. Foram essas características que permitiram ao Manchester City o foco do seu ataque e eficácia das tentativas que proliferaram de seu jogo.

Esta partida veio constatar que o Manchester United perde quando uma das suas peças fundamentais, senão a mais fundamental, Wayne Rooney se encontra ausente por lesão ou castigo, e novamente sucedeu tal facto. O United que só tinha sofrido 3 golos em casa, sofreu mais 2 à mercê do City e perdeu pela primeira vez a jogar em casa.

Chelsea 0 Liverpool 0

O Chelsea perdeu a chance de se aproximar ainda mais do derrotado Manchester United ao lograr somente um empate caseiro frente ao Liverpool. Para mais, o Liverpool dominou, no que diz respeito, à posse de bola, porém nenhuma das equipas conseguiu materializar em golos os escassos remates efectuados à baliza.

Com a ausência de Fernando Torres, por lesão, o ataque do Liverpool perdeu o factor X associado ao espanhol e suas recentes exibições que se repercutiam na linha mais avançada da equipa de Merseyside.

Um jogo que opôs 2 fortes equipas mas com um nível exibicional muito fraco para quem aspira os lugares cimeiros da classificação. De referir ainda, o retorno do internacional inglês Frank Lampard após lesão, mas sem muito impacto no jogo do Chelsea, dado que o mesmo passou ausente esta partida.

Arsenal 2 Blackburn Rovers 0 (Senderos, Adebayor)

O Arsenal reforçou a liderança ao bater o Blackburn Rovers por 2-0, golos de Senderos e Adebayor.

Adebayor com este golo passa para a frente da tabela dos melhores marcadores com 12 golos em 9 jogos na Premier League, mais 7 golos em outras competições nesta temporada.

Alexander Hleb poderia ter feito de 3 o número final a figurar no resultado, porém o seu remate foi rejeitado pelo poste do guardião adversário, Brad Friedel, quando o Arsenal apesar da vitória final, acusou alguma pressão, de tal forma, que não conseguiu desenvolver o seu jogo ofensivo dominante, ainda assim suficiente para bater os forasteiros e mantendo mais uma “clean-sheet”.

O Blackburn, após ter sofrido o primeiro golo, poderia ter igualado quando a tripla ofensiva Bentley, McCarthy e Santa Cruz combinaram numa jogada quase perfeita que pecou pela fraca finalização da mesma. Tudo bem feito e de forma flanqueada até que McCarthy cabeceou, perdulariamente e Santa Cruz também não fez muito melhor da sub consequente recarga e posterior jogada de contra-ataque do Rovers.

Melhores Marcadores

S. Adebayor 19

C. Ronaldo 19

F. Torres 12

Benjani 12

R. Keane 12

Santa Cruz 11

C. Tevez 11

N. Anelka 10

D. Berbatov 10

J. Carew 9

A. Yakubu 9

S. Gerrard 8

D. Kitson 8

Cesc Fàbregas 7

G. Agbonlahor 7

Classificação

01. Arsenal 63

02. Man United 58

03. Chelsea 55

04. Everton 47

05. Liverpool 44

06. A Villa 44

07. Man City 44

08. Portsmouth 41

09. Blackburn 39

10. West Ham 37

11. Tottenham 32

12. Middlesbrough 29

13. Newcastle 28

14. Sunderland 26

15. Bolton 25

16. Wigan 23

17. Birmingham 22

18. Reading 22

19. Fulham 19

20. Derby 9

Equipa da Semana

David James (Portsmouth)

Richard Dunne (Manchester City)

Phil Jagielka (Everton)

Michael Ball (Manchester City)

Gary O'Neil (Middlesbrough)

Stephen Ireland (Manchester City)

Lassana Diarra (Portsmouth)

Martin Petrov (Manchester City)

Benjani (Manchester City)

John Carew (Aston Villa)

Jeremie Aliadiere (Middlesbrough)