phone: +351 912 241 983 | +1 347 851 0251
e-mail: info@TheRoyal45.com

Monday, February 23, 2009

Empréstimos a Particulares

Empréstimos a Particulares Para aquisição de habitação

Quanto à procura de empréstimos bancários por parte de particulares, esta ter-se-á reduzido no decurso do último trimestre de 2008, tendo sido reportada uma diminuição considerável no segmento destinado à aquisição de habitação. A deterioração da confiança dos consumidores, perspectivas mais pessimistas para o mercado de habitação e alguma redução nas despesas de consumo de bens duradouros terão sido os principais factores que influenciaram a procura de empréstimos a particulares.

As perspectivas dos bancos portugueses inquiridos para o primeiro trimestre de 2009 apontam para um aumento de restritividade nos respectivos critérios de aprovação de empréstimos, que poderá ser mais marcado no caso do segmento de médio e longo prazo destinado às empresas não financeiras. Paralelamente, é esperado que a procura de empréstimos por parte das empresas se mantenha praticamente sem alterações e que, no caso dos particulares, a procura continue a reduzir-se sobretudo no segmento destinado à aquisição de habitação.

A instabilidade nos mercados financeiros continuou a condicionar o acesso dos bancos inquiridos aos mercados de financiamento por grosso no último trimestre de 2008. De acordo com as respostas às perguntas ad-hoc incluídas no inquérito conduzido em Janeiro de 2009, as dificuldades sentidas ter-se-ão repercutido em condições mais restritivas na concessão de crédito, quer em termos dos spreads aplicados quer nos montantes oferecidos. Para o primeiro trimestre de 2009, os bancos inquiridos não perspectivam alterações significativas nesta situação.


Empréstimos a Particulares Para aquisição de habitação

No último trimestre de 2008, os critérios de aprovação de empréstimos a particulares para aquisição de habitação continuaram a restringir-se, tendo um banco indicado a adopção de critérios consideravelmente mais exigentes.

O aperto verificado nos critérios de aprovação do crédito à habitação terá reflectido predominantemente a deterioração das expectativas quanto à actividade económica em geral e das perspectivas para o mercado de habitação, tendo o custo de financiamento e restrições de balanço dos bancos continuado a contribuir também para uma maior restritividade dos critérios. Um dos bancos participantes indicou a escassez de liquidez nos mercados como factor de maior restritividade das condições de aprovação de empréstimos desta natureza.

A maior exigência nas condições de concessão de crédito ter-se-á traduzido em spreads

mais elevados, quer para empréstimos de risco médio quer para os de maior risco. No caso destes últimos, foi reportado um aumento considerável por quatro instituições. Também o rácio entre o valor do empréstimo e o valor da garantia terá continuado a diminuir, ao mesmo tempo que aumentou a exigência quanto às garantias. Quanto às restantes condições contratuais, não se terão registado alterações significativas para a generalidade dos bancos inquiridos.

No quarto trimestre de 2008, a procura de empréstimos para aquisição de habitação terá diminuído consideravelmente, segundo quatro dos cincos grupos bancários participantes no inquérito. A deterioração da confiança dos consumidores e das perspectivas para o mercado de habitação continuaram a influenciar negativamente a procura neste segmento do mercado de crédito, tendo todas as instituições excepto uma indicado um impacto considerável destes factores. As despesas de consumo não relacionadas coma aquisição de habitação terão também induzido uma redução das necessidades de financiamento neste segmento do mercado de crédito. Uma instituição indicou adicionalmente a subida das taxas de juro como contribuindo para uma redução considerável da procura no segmento destinado à aquisição de habitação. Os restantes factores enunciados foram referidos pela generalidade dos bancos como tendo impacto reduzido ou praticamente sem impacto sobre a procura de empréstimos para aquisição de habitação.

Para o primeiro trimestre de 2009, quatro bancos antecipam adoptar critérios de concessão de empréstimos para aquisição de habitação mais restritivos, um dos quais de forma considerável. Para o mesmo período, todos os bancos inquiridos perspectivam uma diminuição da procura de empréstimos dirigida a si, tendo dois deles indicado anteciparem uma diminuição considerável desta.

Copyright © 2009 Nelson Motta™ All Rights Reserved