phone: +351 912 241 983 | +1 347 851 0251
e-mail: info@TheRoyal45.com

Saturday, March 21, 2009

Premier League, Jornada 29

Arsenal continua a praticar o futebol mais espectacular na corrente temporada, após marcar passo em termos pontuais durante a maior parte da época.

A jogar num ataque continuado constante sob a batuta de Nasri na ausência de Fabregas, os gunners dizimaram por completos em Tyneside, o Newcastle que poderia ter aberto o marcador por intermédio de Martins, porém Almunia negou a conversão da grande penalidade.

O Arsenal ganha assim 3 pontos valiosos e dentro dessa mesma óptica consegue uma efémera aproximação ao topo da tabela, posições essas ocupadas por Man Utd, Liverpool e Chelsea, sendo que Manchester United foi derrotado em Londres por 0-2 frente ao Fulham, facto que de igual modo coincidiu com a primeira derrota na liga era Hiddink do Chelsea, também ela em Londres frente ao Tottenham por 0-1.
O Liverpool irá receber esta jornada o explosivo Aston Villa de Martin O'Neill e poderá retirar dividendos claros no que respeita à luta pelo título, logrando assim uma potencial redução para 1 ponto a vantagem do líder Manchester United, quando o mesmo ainda tem uma partida em atraso para jogar frente ao Portsmouth.

Numa primeira parte em que quer Newcastle e Arsenal estiveram mais equilibrados com constantes oportunidades, foi a segunda parte que viu nascer as alterações constantes de marcador que culminaram com o final 1-3 a favor do Arsenal em St. James Park para desolação dos adeptos de Tyneside que já abandonavam as bancadas aos 75 minutos, depois de terem proporcionado uma atmosfera fervorosa para este embate da Premier League.

O exemplo da complexidade da partida na segunda parte é passível de ser aplicada ao Newcastle através da entrada de Michael Owen aos 65 Minutos em deterimento de Steven Taylor. O avançado inglês no tempo que esteve em campo mesmo buscando a bola por diversas vezes, conseguiu tocar no esférico por 2 vezes em 2 simples toques. Este facto demonstra como os Magpies não conseguiram aguentar a pressão jogando perante o seu público, mesmo após terem sido colocados em desvantagem com um golo de Bendtner aos 57 minutos e obtido uma resposta imediata na jogada seguinte aos 58 para a redenção de Martins no golo que deu o empate.

O futebol é pródigo em dar lições aos que cultivam o jogo mais mastigado, mas objectivo e tirando partido do cansaço do adversário, e assim foi com os Gunners...Com transições muito rápidas e abrindo a defesa do Newcastle bem no seu núcleo oferecendo espaço para quem vinha de trás, invariavelmente, o potencial e apetecido reforço de José Mourinho, pelo nome de Diaby, que já é rotulado como o próximo Patrick Vieira dado o seu estilo de jogo e perspectiva física de 1,88m, o Arsenal marca o 1-2 e numa jogada idêntica mata o jogo aos 67 minutos com o 1-3, novamente através de um desfasamento da defesa do Newcastle no centro para que Nasri alcançasse o tento final da partida. Diaby ainda ao cair do pano enviou a bola ao poste e ganham após tão consistente exibição o prémio de melhor jogador em campo.


Assim, Manchester United lidera com 65 pontos, seguido de Chelsea e Liverpool (-1 jogo) com 61 pontos e Arsenal e Aston Villa (-1 jogo) com 52 pontos.

Copyright © 2009 Nelson Motta™ All Rights Reserved